Blog

Discipulando em Liberdade

Lucas 4:18-19

O nosso Senhor Jesus Cristo foi e sempre será o mais precioso exemplo a ser seguido dentro das Escrituras. No seu Evangelho, Lucas narra o episódio em que Jesus, ao abrir o livro do profeta Isaías, lê para os judeus e deixa claro porque Deus, o Pai, o ungiu com o Espírito Santo. Ele foi ungido para evangelizar os pobres, para proclamar libertação aos cativos e restauração de vista aos cegos e para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor. A profecia do ano aceitável do Senhor se cumpriu em Jesus. Ano de libertação e restauração comemorado de 50 em 50 anos, em Israel. Nesse ano a terra não era cultivada; todas as terras vendidas ou confiscadas eram devolvidas aos seus donos anteriores, e todos os escravos eram libertados (Levítico 25:10). Isaías proclamou um novo jubileu (Isaías 61:1-3), que Jesus interpretou como tendo se realizado com a sua vinda. Jesus veio trazer libertação.

Discípulos de Jesus devem proclamar libertação, nunca escravidão. Absolvição, nunca condenação. Perdão, nunca cobrança de dívida. Toda a palavra no discipulado tem que ser uma palavra libertadora. Em João 19:30 Jesus diz: “Está consumado”. Em outras palavras: Vocês estão libertos. Não há mais dívida a ser paga. Este é o resumo da proclamação do discípulo de Jesus. Com um discipulado libertador poderemos experimentar o que significa “levar as cargas uns dos outros” (Gálatas 6:2).

Anúncios

O silêncio e as costas

Impressionante o “silêncio”.

Agora que tudo passou: o silêncio. O silêncio incomoda, dói, intriga… Será a mais completa indiferença? Entro em minha caixa de mensagens e não encontro mais os conselhos, as declarações de amor, os sinceros desejos de que tudo vá bem.

O silêncio e as costas é o que resta. Que paz silenciosa.

Deixa eu ajuntar meus cacos aqui. Vai demorar um pouco…

indo_embora

Dormindo como uma criança

Atos 12,1-6

felipe
Felipe dormindo

A vida é cheia de altos e baixos. Ou estamos bem ou estamos mal. Na vida cristã também acontecem situações que nos colocam contra a parede. Hoje quero lhes propor uma viagem. Apertem os cintos, pois vamos viajar através do livro de Atos. E será uma viagem de montanha-russa. Mas para esta viagem não há restrições. Podem entrar qualquer tipo de pessoa: crianças pequenas, adultos, idosos, homem, mulher, pastores, diáconos, membros da banda da igreja, etc.

Nesta viajem começamos do alto. Ao contrário da maioria das montanhas-russas começamos do alto, pois Jesus está presente e é elevado aos céus. Logo depois vamos para baixo, pois a Igreja passa quarenta dias reunidos no mesmo lugar, sem Jesus e sem o derramamento do Espírito. Mas então vamos subir, pois o Espírito Santo é dado aos homens na Festa de Pentecostes e uma multidão se entrega a Jesus. Depois vamos para baixo, pois Pedro e João curam um coxo e são presos por isso. Agora vamos para cima de novo, pois a igreja permanece em oração e estes são soltos, em seguida vamos para baixo, pois depois da oferta de Barnabé, Ananias e Safira são mortos por mentirem ao Espírito Santo, há mentira no meio da igreja. Vamos subir de novo pois os apóstolos são presos de novo e o Senhor usa Gamaliel para lhes libertar. Para baixo de novo, pois Estevão é apedrejado aos pés de Saulo. Subimos novamente, pois o perseguidor virou perseguido, e se tornou o maior missionário da igreja primitiva. Então chegamos a um ponto muito baixo da igreja.

Herodes tinha decapitado Tiago, irmão de João. E Pedro seria o próximo. A coisa está feia nesta noite. A coisa não está nada boa nesta noite. Pedro está preso.

Herodes era cruel. Ele manda decapitar Tiago, irmão de João. E vê que isto agradava os judeus. Cuidado com o que você faz para agradar os outros. Mulheres e meninas, cuidado com o que você faz para agradar o seu namorado ou seu esposo. Você que namora cuidado. Se ele quiser ter um carro, vai ter que tirar carteira, pagar emplacamento, IPVA, seguro, etc. Se ele quiser viajar para os EUA, vai se submeter a toda a burocracia que o sistema pede. Se quiser comprar uma casa vai pagar ITBI, IPTU, vai ter que ter licença para construir alguma coisa diferente. Mas lembre-se e cuidado com o que você faz para agradar o seu namorado, porque ninguém vai comprar uma vaca se ele tem leite de graça.

Pedro estava preso. Era um dia mau. Pedro estava no corredor da morte, esperando. Mas a igreja orou incessantemente. Não foi por uma hora, não foi por duas horas, foi a noite toda. Herodes colocou dezesseis guardas para tomar conta de Pedro, e o verso seis me deixa impressionado. Ele diz: “Pedro, dormia entre dois soldados”.

Pedro viu Jesus crucificado, viu Estevão apedrejado, viu Tiago ser decapitado e, ele DORMIA entre os dois soldados na prisão? Você tem uma conta atrasada e não consegue dormir? Você tem uma enfermidade e não consegue dormir? Você não arranja uma noiva ou noivo e não consegue dormir? Pedro estava no corredor da morte dormindo como uma criança.

Herodes estava acordado, porque era inseguro, com pouca autoestima. Os judeus estavam acordados, porque não viam a hora de acabar com aquela seita dos que seguiam “o caminho”. Os guardas estavam acordados porque sabiam o que lhes aconteceria se aquele prisioneiro escapasse. A igreja estava acordada orando incessantemente. Mas Pedro, dormia como uma criança.

Pedro, como você pode dormir numa situação desta? Vamos usar nossa imaginação

Eu posso dormir porque eu tenho uma promessa de Deus. Um dia na sinagoga, o rabino que eu seguia, Jesus de Nazaré abriu o livro de Salmos e leu Salmo 121,4: O guarda de Israel não dorme.

Eu posso dormir porque eu tenho uma promessa de Jesus. Em João 21,18 Jesus disse para Pedro: “quando ficares velho…”. Foi Jesus que disse e se Ele disse eu posso dormir. Porque eu ainda não estou velho.

Eu posso dormir porque eu tenho uma experiência em Deus. Eu já estive aqui antes (Atos 4). Este lugar não me é estranho. Ele já me livrou antes. Eu não vou perder meu sono, porque eu sei que Ele me livrou antes e vai me livrar hoje.

Extraído da prédica do Pastor E. Dewey Smith Jr. (House of Hope – Atlanta)

Tradução Livre

O Deus do “mais”.

O Deus do “mais”

Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado.
Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.
Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará.
E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia.

Salmos 37:3-6

Nosso presente tempo pode ser, entre muitas outras coisas, caracterizado como o século da desconfiança. Em uma sociedade que valoriza o que possuímos em detrimento do que somos, queremos garantias do sucesso. Geralmente, no processo de norte-americanização do Brasil corremos atrás de uma quantidade cada vez maior de seguros: automóvel, residência, vida, saúde, previdência, etc.

Mas aqui o salmista, em forma de poesia, destila sua sabedoria para obter o néctar que leva ao sucesso garantido. Basta seguir dois conselhos e apreender um ensinamento deste texto.

Primeiramente, ele aconselha: “Entrega o teu caminho ao Senhor”. Em outras palavras. Ao trilhar o seu caminho que este passe pelo crivo das leis do Senhor. Ele recomenda: “Faze o bem…”, e segue prometendo “serás alimentado”. Não te faltará nada de essencial por fazeres o bem. Depois ele é mais exigente. Não só faça o bem, mas faça isto com alegria. “Deleita-te no Senhor.” E ele continua prometendo: “Ele concederá os desejos do teu coração”.

Mas depois ele aconselha novamente: “Confia nele”. Assim como uma criança pula nos braços do pai sem medo, devemos ter fé. Novo modo de ver o mundo, uma nova experiência, um novo jeito de enxergar as coisas. Aconteça o que acontecer devemos crer que Deus sabe o que é melhor para nós. Não devemos agir como Caim e se revoltar contra Deus quando algo não sai como planejamos.

No entanto, o que me salta aos olhos neste texto é o detalhe que o salmista levanta. Até aqui ele só falou à respeito de nossas atitudes. Agora, ele vai falar à respeito do que o Senhor fará. E aí que a coisa fica complicada para quem quer que Deus faça tudo, se escondendo atrás de uma falsa piedade: “Minha vida está toda nas mãos de Deus”.

Deus é o Deus do “a mais”. Deus fará o além, o intocável, o impossível, aquilo que você não pode fazer. Ele fará conforme a sua vontade. As respostas das provas não vão cair do céu, o hospital não vai te ligar amanhã te convidando para ser médico, aquela empresa não vai te ligar te convidando para trabalhar do nada. Gênesis 3.17: “Do suor do teu rosto comerás o teu pão.”

O único lugar aonde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário. Se estão te prometendo mundos e fundos sem esforços, desconfie. Não é assim que as coisas funcionam. Deus faz o algo mais, ele te protege, te guarda, te dá forças para não desistir, mas ele exige uma coisa: confie nele.

O cristianismo do umbigo

A primeira condição para se autodenominar cristão é imitar o Cristo. Este que os cristãos chamam de Senhor esvaziou-se assumindo a forma de servo sendo obediente até a morte e morte de cruz (Filipenses 2).

O mesmo que ensinou os seus discípulos a lavarem os pés uns dos outros, que ensinou a dar a outra face, que ensinou a amarmos ao próximo. Definitivamente o cristianismo é um movimento para o outro. Sempre pra fora de si, se colocando no lugar do outro. Seguidores de Jesus nunca deveriam conjugar a primeira pessoa do singular. O “eu” não pode ser sujeito, mas apenas objeto. Sujeito é o Senhor Jesus. Como diz o apóstolo Paulo aos Colossenses: “…nele habita toda a plenitude da divindade” (Colossenses 2,9).

Se ao falar de sua vida cristã o seu “eu” e suas necessidades vêm primeiro lugar, então você está na contramão do ensino de Jesus. Eu e as minhas necessidades sempre devem vir em segundo lugar. Primeiro, vem o Reino de Deus e suas ordenanças, depois o meu umbigo. O Reino não se resume a satisfação de prazeres, desejos, paparicos, prosperidades e vitórias.

Pelo contrário, a lógica de Jesus é diferente da lógica dos homens. Para ter prazer, o prazer é o prazer do outro, se o outro sofre você também sofre. Para ter desejos satisfeitos, tem que dobrar joelhos e orar o que o Espírito deseja, pois é o melhor para nós. Para ter mimos e paparicos de Deus, precisa passar por um deserto, pois só depois vem a terra prometida. Para ter prosperidade, tem que desejar a prosperidade correta. Riquezas sim, mãos cheias de preciosidades, das maiores preciosidades que existem: vidas para Cristo. Para ter vitórias, tem que ser derrotado e se humilhar, só aí o Pai nos exalta.

Se o foco não é o outro, então o foco é o umbigo. E quem só olha para o umbigo não pode olhar para o alto. Mas esquecendo-me das coisas que para traz ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.